Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2018

Cresces com a Papa que te Dão

Olá a todos!
Hoje trago-vos um poema de 2014 que na minha opinião ficou muito bem conseguido (devia estar num dia revolucionário). É um bocado suspeito dizer isto quando fui eu que escrevi, mas o que se pode fazer… :D

Espero que gostem! Ahahah, rio para não chorar. Escolhes o que comes, pensas tu, Mas só dentro do que te querem dar.
Cresces com a papa que te dão. É sempre a mesma, parece resultar... Mas não te preocupes com a repetição: Pois permitem-te não enjoar!
Mudam-lhe a cor, mudam-lhe o sabor, Mudam a embalagem ou acrescentam-lhe licor… Deliciam-se com a tua cara de satisfação. Reclamas? Wow, fazem uma promoção!!!
A vida não está fácil, O que vier é bem-vindo… Eles dão-te a mão, Mas tiram-te o braço, rindo.
Tiram-te a mente, tiram-te a perceção, E o teu filho, mal nasce…toda a geração. E pensas que é normal a insatisfação... Próprio, encarceras-te na perdição.
E tudo isto porque te dão de comer, Com alimentos que vêm de terra qualquer. Estamos ocupados, nem queremos saber. Afinal, Eva por pecar não de…

Dança 2

Olá a todos!
Eis um upgrade de 2012 do meu poema sobre dança de 2011… Espero que gostem! Da experiência Humana Tiramos uma conclusão: Nem sempre temos sonhos, Ou cremos na sua realização…
Todos temos problemas, Mas costumamos exagerá-los Com incertos/falsos dilemas.
Como dizia Bob Marley: Ao pensarmos no assunto, Só duplicamos a gravidade. Digo por experiência própria, É uma grande verdade!
No meu percurso de vida, Descobri um incrível lugar, Onde as más horas se dissipam. Só há espaço para sonhar!
Deram-lhe o nome de Dança, Criaram-no cheio de alegria, Para que tudo fosse possível. A dançar sou o que quero: Um reflexo, alguém invencível…
Seja qual for o solo que Pisemos no momento, Ao ligarmos as colunas, Enchemo-lo de movimento.
Já fui vilã, uma princesa,... Visito escombreiras, pó... Contato com a Natureza.
Cada coreografia vive, Tem um significado. É uma representação, É um misto de emoção.
Traz novas e várias formas De ver o amor, a amizade. Junta várias esperanças, Num centro de fraternidade.
Desde que ela me cati…

Dia de Verão

Olá a todos!
Hoje trago-vos um poema que escrevi em 2011 que não foi, de certeza, um dos meus melhores, mas que acho que ficou bem conseguido, porque basicamente descrevi um dia de férias de verão que tive em poema.
Quão maravilhosa é a inspiração! :D
Espero que gostem!
Acordo de manhã,
Na minha cama macia.
Abro os olhos, e
Sou presenteada
Com este dia.

O Céu está azul,
O Sol a brilhar,
Que preciosa tela,
Diante do meu olhar.
Lá vem a Rita (a cadela), Com o rabo a abanar,
Salta de felicidade,
E pede-me para brincar.

Desço para a cozinha, Para um sumo beber,
Depois fico a pensar:
O que vou fazer?

Computador, cantar, Dançar ou piscina?
Tantas possibilidades,
Me oferece este dia.
Resolvo sair, para De bicicleta andar.
Avisto a Ateline,
Que me está a acenar.

Chego a casa contente, E aí, vou almoçar.
Seja lá o que for,
Não há problema
(a minha mãe sabe cozinhar)!

Depois fui jogar, No precioso computador.
Seja sims ou não,
Tudo tem o seu esplendor.

Após horas de virtualidade, Decido: é hora de ler!
Agarro num bom livro,
É altu…

Sentido da Vida

Olá a todos!
Vai um poema? Vai!
O de hoje é sobre o Sentido da Vida: A vida é curta, É o que ouço dizer, Mas muitos falam: Estou farto de viver!
Neste globo Chamado terra, Há muito para fazer, Mas o sentido da vida É difícil de entender.
Há quem o encontre No trabalho, em papéis, Numa projeção... Há quem o faça no amor, Em assuntos do coração.
Há quem corra a maratona, E diga que isso o faz viver. Há quem permaneça bêbedo E mais um golo queira verter.
Há quem não tenha a noção, Do caminho que deve seguir, E partilhe a sua dúvida Em prosa e poemas Que nos fazem sentir.
Eu, se falar por mim Digo que o sentido não sei, Mas vivo, divirto-me E quero ir mais além.

Dança

Olá a todos!
Ai, a dança, a dança… essa arte da expressão humana pelos movimentos…
Hoje deixo-vos um poema na altura em que tinha aulas da dança. Espero que gostem. Toda a minha vida Gostei de me expressar
Imaginar, criar...
Parada, viajar
Para qualquer lugar.

Não a procurei, Ela me encontrou.
A dança chegou
E tudo possibilitou.

Porque a dança Não tem definição,
Ela é um misto de tudo
Num simples
Movimento de mão.

É mais do que técnica, É muito mais profunda...
É uma companheira de vida,
É um ponto de partida.

A dança é alegria, é poder É coragem, é paixão!
É arte, é imaginação...
A dança é emoção!

A dança é um confronto, É negar, é dizer não!
É quebrarmos as correntes
Que nos prendem ao chão.

A dançar sou super-mulher, Sou doida, sou selvagem.
Sou uma viajante do tempo,
Desfrutando da viagem.

Sou uma mesa ou um cisne, Uma árvore ou o ar.
Sou livre, tenho asas
E a capacidade de voar.

A dança é silêncio, É mil vozes a gritar...
É o som do vento
Ou dum rádio a tocar.

A dança é choro De pura felicidade.

Capacidade de Mudar - onde está?

Olá a todos!
Hoje trago-vos mais um poema que fiz em 2011 (aparentemente o meu ano de rapper interna), com um ritmo próprio… Vivemos num mundo Cheio de Felicidade,
Mas como possui-la
É um enigma de verdade.
As pessoas procuram Em todos os recantos,
Mas agarram-se a materiais
E aos seus falsos encantos.

Muitas dizem que esse Não é o caminho a seguir,
Mas fazer as malas e mudar
É mais do que pensam conseguir.
Dizem que mudam, Que fica para depois,
Mas acordam stressados:
Têm a carroça,
Mas não os bois.
Não abençoam os dias, Não vivem satisfeitos.
Mudar assusta,
Desculpam-se com defeitos.
Procuram a felicidade, No que se pode comprar,
Sentem-se incompletos, mas
Onde está a capacidade de mudar?
Não são ignorantes, Mas são à partida vencidos,
Nem sequer tentaram,
Já acham estar perdidos.

O mundo sabe,
Mas tem medo de tentar...
Pessoas deste planeta,
Onde está a capacidade de mudar?
Espero que tenham gostado.
Até à próxima! Beijinhos.

Tristeza

Olá a todos!
Hoje trago-vos um poema sobre Tristeza, que escrevi em 2011, num momento em que, aparentemente não me sentia nos meus melhores dias...
“Tchiii, que antigo pá!” – É verdade, disso não me posso defender, mas com o continua a haver tristeza no mundo (espero que trabalhemos para que ocorra cada vez menos), ele continua a fazer sentido.
Espero que gostem!
Onde se esconde o positivismo, Que sempre me caracterizou?
O espírito animado e sonhador?
Para onde a esperança voou?

E os pensamentos que
Tornavam a tristeza,
Uma vírgula numa composição?
Onde está a energia,
Que fluía da minha mão?

Não sei o que pensar,
Não sei o que sentir.
Percuto tudo a procurar,
Não vejo caminho a seguir.

Parar é insuportável!
Andar é em vão!
Nem as lágrimas são consolo,
Aqui, sentada no chão.

O que sempre gostei,
Perdeu o sentido.
Que farei eu?
Sou um ser perdido…

Sem razão aparente,
Não me interesso por nada.
Não cheiro, não ouço,
E minha voz está calada.

Esta dor que me assola,
É uma facada no coração,
A minha alma invade,
É mi…

Hora do Suminho!

Olá a todos!
Hoje trago-vos um poema... brincadeirinha... trago-vos uma receita de algo maravilhoso que eu bebo
de manhã (embora não todos os dias) e que está cheio de benefícios. 
E do que falo? É uma refeição? Talvez... É uma sobremesa? Não...
É... um Sumo de Vegetais e Fruta!!! Pois é, trago-vos um exemplo dos vários sumos de vegetais de fruta que eu bebo, porque sei que eles estão cada vez mais populares, porque cada vez mais gente se preocupa com a sua saúde, o que é ótimo. :D Vou, da mesma forma, contar-vos um pouquinho sobre como estas fontes incríveis de nutrientes entraram na minha vida.
Então, vamos lá:
Começando pela história, aos 8 anos eu tive uma grande queda de cabelo (ninguém diria, vendo-me atualmente) e a minha mãe pensou: "O que posso fazer?", "Como fortalecer o cabelo da minha filha e resolver este problema de queda?".
Chegou à conclusão de que o que fortalece o cabelo são os Nutrientes. Ora os nutrientes vêm daquilo que comemos. E qual uma exce…

Lágrima Noturna

Olá a todos!
Hoje, deixo-vos um poema que escrevi num momento aparentemente mais "melancólico". Não é feliz, mas também compõe o Fado. 

Espero que gostem! Pequena e escorregadia.
Desce de uma face taciturna.
Cai lentamente,
Lágrima Noturna.

A noite está clara,
Estrelada e encantadora. Mas ao Ser não importa, À Alma não motiva, Ao Coração não acalma, Não se abre nenhuma porta…
Por que sente essa dor? Não se ouve, é muda. Mas nela sufoca um Grito desesperado. É invisível, mas sente-se… Começou, e permanece a seu lado…

Ninguém compreende,
Esta profunda agonia, As gotinhas de sal, São uma constante companhia.
Só consegue sentir dor, Não consegue sorrir… E na noite mais bonita,
A foi transmitir, com... Uma Lágrima Noturna
Até à próxima! Beijinhos.

...Oh Chuva que cais do lado de fora?

Olá a todos!
Mais um poema do blog: viva a arte! :D Olho pela janela do quarto, E vejo que chove lá fora. Cá dentro estou à secretária, Numa leitura que demora.
Estes aguaceiros vindos de cima, Substituem os esperados sol e o calor… Avisam-nos que é melhor trabalhar, Pegar na papelada e em casa ficar.
Mas as minhas visão e a audição, Mostram-se, pela chuva, estimuladas. Não são poéticas e inspiradoras, Estas gotinhas do céu, ritmadas?
Fornecem-me momentos refletivos, Em que paro e olho, olho e penso, Fecho os olhos e ouço, ouço e sinto… Não são também estes importantes, Os momentos calmos de instinto?
Quantos sentimentos contrários criarás, Oh chuva que cais do lado de fora? Segues o teu Fado descendente, marcado, E eu sigo o meu... vamos embora!!!
Eu sinto-me sempre muito inspirada quando chove, e vocês?
Espero que tenham gostado.
Até à próxima! Beijinhos.