Avançar para o conteúdo principal

Que sorte a minha!

Olá a todos!

Hoje falo-vos um pouco de sorte.

Imagem retirada da Internet

Frases como “Sou um(a) sortudo(a)!”, “Não tenho sorte nenhuma!” ou “Aquele fulano é mesmo um sortudo!” percorrem o nosso nosso planeta, na boca de pessoas de cada canto do mundo, mas o que é a sorte?

Esta é a definição do dicionário Priberam:


Penso que, pelo menos, algumas destas definições vocês já conheciam, mas de onde vem a sorte? O que fazer para termos sorte? Isto, claro, focando-nos apenas na boa sorte, na boa fortuna.

Eu creio que a sorte seja o que foi descrito pelo escritor Anthony Robbins:
- A sorte é o encontro da preparação com a oportunidade.

Agora, partindo do pressuposto de que a premissa supracitada é verdadeira, temos boas notícias, porque dessa forma, se nos prepararmos e estivermos atentos e abertos às oportunidades da vida, todos vivemos em abundância de boa sorte.

“Não gozes comigo Raquel, então porquê que há tanta gente aí ‘sem sorte’?”

Talvez isso aconteça, porque, se por um lado este conhecimento nos permite saber que todos nós podemos ter a mesma “boa sorte” dentro das nossas circunstâncias, também nos faz perder a ilusão de que esta vem “do nada” ou de que “nascemos assim”, por outras palavras, responsabiliza-nos pela nossa vida.

“Ok, nós aceitamos que fazemos a nossa sorte, mas como é que nos preparamos para uma oportunidade que ainda não sabemos que vai existir, muito menos no que consiste?”

Nós temos, à partida, 2 tipos de preparação na vida: o que fazemos com um intuito já definido a curto, médio e/ou longo prazo, como o estudo para um exame; e a preparação global para a vida.
Estive a pensar no assunto, e cheguei à conclusão de que esta 2ª preparação (a única de que falo nesta publicação) tem o seu maior rendimento quando não nos preocupamos diretamente com ela.

“Raquel, então estás a dizer-nos que podemos desleixar-nos com a vida e só fazer o necessário para sobreviver e manter os nossos hábitos atuais?”

Não, na verdade, na minha opinião, isso é algo que não devem fazer, de todo, se almejam evoluir constantemente e serem realizados. O que quero dizer com “não nos preocuparmos” é que, ao escolhermos a nossa vida, nomeadamente a vida que queremos, que para nós seja de sucesso e felicidade, e a seguirmos, estamos, de forma indireta e positiva, a criar a nossa preparação, “meio caminho andado” da nossa sorte.

Passo a explicar, apresentando os passos que considero fundamentais para que o tal casamento (casamento + preparação) aconteça:

Preparação:

1 – Não nos compararmos com as outras pessoas no sentido de nos diminuirmos ou aumentarmos mais do que a realidade, isto é, devemos saber o que se faz no mundo e olhar para os outros de uma forma mais positiva (posso falar nisso noutra publicação).

2 – Não perdermos tempo e espaço mental a focarmo-nos no que temos de mal. Se isso acontecer das duas uma: ou vamos querer melhorar em tudo, saber de tudo e acabamos por nos perder, parecendo “baratas tontas” que não tentam muito, mas não fazem nada; ou pior, desistimos de nós mesmos (e isso sim, é a verdadeira pena do mundo).

3 – Definirmos os 5 grandes grupos de importância na nossa vida, mais ou menos específicos consoante a altura da nossa vida (por exemplo: Família + Humanidade + Saúde + Criatividade + Desenvolvimento Pessoal), e incluir pelo menos um pouco de cada um dos grupos em cada dia da nossa vida. Isto deve ser feito, sobretudo, porque nos faz felizes e porque nos torna cada vez mais naquilo que queremos ser.

Oportunidade:

4 – Por último, mas não menos importante (na verdade, é absolutamente essencial, talvez o mais importante), ficarmos, vivermos, atentos às oportunidades que nos surgem. E isto, ao contrário do que muitos pensam, não é andarmos sempre a olhar para todos os lados à “pesca da oportunidade” – isso pode, inclusive, afastar-nos de muitas verdadeiramente valiosas. Ao invés disso, o estarmos recetivos ao que a vida nos permite fazer e/ou ter de bom consiste em nos dedicarmos a cada momento do nosso tempo, porque, afinal, estamos a usá-lo para o que queremos e, na impossibilidade de fazermos tudo, o melhor que podemos fazer é colocarmos tudo em cada coisa.

Assim, diariamente, sem sequer nos apercebermos disso, vamos ficando cada vez mais preparados para tudo aquilo que vier, merecedor de ser bem recebido e, focando-nos 100% no que escolhemos fazer a cada segundo, não há oportunidade importante que escape.
Tudo o que passar por nós, que coincida, que contribua, que enriqueça, com o que escolhemos para a nossa vida, será percebido por nós, sem dificuldade.

E vocês, como veem a sorte?

Espero que tenham gostado!

Beijinhos :-*

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Carnaval 2018

Olá a todos!
Hoje trago-vos um vídeo extra no canal!!! 
Não vou publicar um vídeo todos os dias, mas há exceções, como neste caso, em que tivemos o Carnaval e o Dia de São Valentim na mesma semana. :)
Espero que gostem! 😊


Até à próxima!
Beijinhos :-*

Aniversário 2018

Olá a todos!
Hoje é o meu aniversário, comemoro mais um ano de vida e, por esta ocasião especial, interrompo o estudo para festejar e para vos escrever. Este dia pode ser especial para nós, por diversos motivos, dependendo também da nossa idade e da altura da vida em que estamos. Lembro-me que quando era pequena os meus aniversários eram o máximo pelos doces, pelos amigos a cantarem os parabéns, pelos brinquedos que recebia, pelo karaoke que cantava, pelos saquinhos de guloseimas que distribuía na escola ou a todos os que iam à minha festa de anos... Há medida que vamos crescendo, as festas vão-se tornando diferentes, com menos pessoas e menos brincadeiras, e começamos a dar mais importância a estar com a família, a nos rodearmos de um grupo mais limitado de pessoas e claro, a receber parabéns das pessoas que passam pela nossa vida, quer pessoalmente quer nas redes sociais.
Nem sempre os nossos dias de aniversário são perfeitos, sobretudo se nem tudo na nossa vida está como gostaríamos o…

VeganChee Bio - Iogurtes e Queijos

Bom dia a todos!
Na publicação de hoje vou partilhar convosco alguns produtos vegan que conheci há algum tempo e dos quais, pelo sabor, aspeto, saúde e praticidade, não poderia deixar de falar. Curiosos para saber do que falo?
A resposta é: VeganChee Bio - alternativas vegetais ao queijo e aos iogurtes. Para além de estar a estudar para vir a ser Médica, eu sempre me preocupei com a Saúde e, sobretudo, sempre procurei saber mais sobre o tema e sobre o que eu podia fazer para ser mais saudável (vou certamente partilhar alguns dos hábitos que tenho noutros posts).
E como falar de Saúde, sem falar de Alimentação?
Como disse Hipócrates, na Antiguidade, “que o teu alimento seja o teu medicamento.” e, baseada nesta premissa, sempre procurei comer o melhor possível, com algumas exceções (muitas) de vez em quando, como é normal.

O tipo de alimentação que levo não é tema para esta publicação, mas resumidamente é preferencialmente vegan, mas não rígida. O que isto significa? Que como de tudo,…